Ligue agora:15. 3031-2727 |  15. 997-992-011 Seg. a Sex. das 08h às 18h

Conheça alguns de nossos Caminhões novos e seminovos

Os melhores caminhões da região

Ver mais caminhões

Iveco 70C16 2008

Iveco Daily 70C16, com baú.

Ver Mais

Notícias - Álvaro Caminhões

Fique por dentro de tudo que acontece no mundo dos caminhões

Alvaro Caminhões

31 de janeiro de 2017

REUNIÃO ENTRE CAMINHONEIROS E O GOVERNO FEDERAL É MARCADA PARA HOJE

Está prevista para a tarde dessa terça?feira (31) às 17h, a reunião entre os representantes dos caminhoneiros do estado do Mato Grosso, o senador José Medeiros (PSD?MT), o vice?governador do estado do Mato Grosso Carlos Fávaro e o Ministro Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. O encontro havia sido prometido pelo Presidente Michel Temer na última semana, logo após uma reunião com o senador José Medeiros (PSD?MT), que apresentou a presidência a grave situação econômica que o transporte rodoviário vem enfrentando nos últimos meses, em especial os transportadores de grãos. Dentre os assuntos pautados na reunião estará o tabelamento mínimo do frete, que foi uma das principais reivindicações dos transportadores na paralisação que ocorreu no início de janeiro. Somente no Mato Grosso mais de 10 mil caminhões paralisaram as atividades por mais de 5 dias, afim de pressionarem o reajuste no frete e a aprovação em caráter de urgência da PL 528/2015 que estabelece uma Política de Preços Mínimos para o frete rodoviário. A paralisação teve seu fim decretado somente após a garantia de reuniões e discussões sobre o valor do frete envolvendo as tradings e os governos, estadual e federal. Seguindo esse acordo na última semana aconteceu a reunião entre os representantes dos caminhoneiros, as tradings e o governo do estado do Mato Grosso, porém sem acordo sobre uma tabela para o frete de grãos. A reunião de hoje é a última esperança da categoria de acelerar e alcançar o tabelamento mínimo do frete, já que o governo federal mostrou interesse em participar da discussão. Fonte: caminhoes-e-carretas

Alvaro Caminhões

25 de janeiro de 2017

MOTORISTA ALCOOLIZADO PODE SER OBRIGADO A RESSARCIR O SUS POR GASTOS COM ACIDENTES

O motorista que causar acidentes sob a influência de álcool ou qualquer outra substância psicoativa poderá ser obrigado a ressarcir as despesas do Sistema Único de Saúde (SUS) com o tratamento das vítimas. É o que determina projeto de lei (PLS 32/2016) do senador Wellington Fagundes (PR?MT) em análise na Comissão de Assuntos Sociais (CAS). Pelo texto, o ressarcimento também compreenderá os gastos que o SUS eventualmente efetuar com tratamentos no próprio motorista. Na prática, o condutor responderá civilmente pelas despesas quando for também enquadrado penalmente pelos crimes de homicídio e lesão corporal devido ao acidente motivado por embriaguez ou consumo de outras drogas. Depois do parecer da CAS, a proposta também será examinada pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), em decisão terminativa. Custos elevados Na justificação, Wellington Fagundes salienta que a violência no trânsito vem aumentando enormemente no país, com mortos e feridos, e que muitos dos casos resultam da ação de motoristas sob a influência do álcool e outras drogas. Além das tragédias humanas envolvidas, ainda destaca o autor, há também o problema do alto custo para o Estado em decorrência dos atos “irresponsáveis” desses motoristas. “A grande maioria das vítimas é atendida em hospitais públicos e estes atendimentos demandam um grande volume de recursos públicos”, argumenta, ao defender que os custos sejam assumidos pelo condutor que tenha causado os danos à saúde de terceiros e à sua própria integridade. O projeto, que impõe a obrigação do ressarcimento das despesas efetuadas pelo SUS por meio de alterações no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), tem como relator o senador Paulo Rocha (PT?AM). Depois que ele entregar à CAS sua análise, a matéria será pautada para votação. FONTE: Agência do Senado

Alvaro Caminhões

25 de janeiro de 2017

CAMINHONEIROS PEDEM SOLUÇÕES SOBRE AFERIÇÃO DE TACÓGRAFOS NO PA

Cerca de 65 caminhoneiros realizaram um ato no início da tarde desta terça?feira (24) em frente ao prédio Ministério Público Federal (MPF) em Santarém. A categoria cobra soluções para o problema da aferição dos tacógrafos. Segundo eles, por não existir um local especializado que faça o procedimento no equipamento, os caminhões transitam de forma irregular no município, sujeitos a multas. Além dos caminhoneiros, empresários também participaram da mobilização. Uma comissão composta por dois caminhoneiros e um advogado foi recebida pela procuradora Fabiana Schneider. Eles devem apresentar as demandas ao MPF. Representantes da Polícia Rodoviária Federal devem participar do encontro. O instrumento é obrigatório em todos os veículos de transporte, com peso bruto acima de 4.536 kg ou com capacidade para mais de dez passageiros, e é fundamental para a segurança nas estradas, pois é considerado a “caixa preta” de caminhões, ônibus e vans escolares. Ele precisa ser ferido a cada dois anos. O município mais próximo que faz o procedimento fica a 1,3 mil quilômetros de distante de Santarém. Segundo a categoria, para se deslocar para Marabá é necessário pagar um custo muito alto. FONTE: G1

Redes Sociais - Álvaro Caminhões

Fique por dentro de tudo que acontece no mundo dos caminhões